Intransigência da Petrobras pode levar a desabastecimento de combustíveis, alerta FUP

“Eles querem promover de forma premeditada o desabastecimento nacional para culpar os petroleiros”, advertem grevistas, no 13° dia do movimento

São Paulo – A intransigência da gestão de Roberto Castello Branco na presidência da Petrobras, ao se negar a negociar com os petroleiros, já no 13° dia de greve, ameaça o abastecimento de combustíveis à população brasileira. O alerta é da Federação Única dos Petroleiros (FUP). “Sim, é possível termos um desabastecimento no mercado de derivados de petróleo a partir da semana que vem, por conta da intransigência da gestão”, advertiu o diretor da FUP Deyvid Bacelar.

“Se preparem, abasteçam os seus carros, caminhões, comprem o gás de cozinha, porque eles querem promover de forma premeditada o desabastecimento nacional para culpar os petroleiros”, disse.

Segundo o dirigente, a direção da Petrobras não permite que os petroleiros assumam o controle das unidades com seus próprios efetivos, para aumentar a produção. Se houver desabastecimento, afirma, a culpa será da gestão, “que não quer conversar e quer vender as refinarias e beneficiar importadoras e outras empresas internacionais”.

Nesta quinta-feira (13), a greve dos petroleiros chegou a 113 unidades, em 13 estados do país. São mais de 20 mil petroleiros mobilizados. O movimento abrange 53 plataformas, 23 terminais, 11 refinarias e mais 23 outras unidades operacionais, além de três bases administrativas.

Os grevistas exigem o cumprimento do acordo coletivo de trabalho (ACT) e a reversão das demissões na Fábrica de Fertilizantes Nitrogenados do Paraná (Fafen-PR), cujo fechamento a estatal considera irreversível.

Os trabalhadores da Fafen-PR estão recebendo telegramas da empresa, convocando-os para comparecer nesta sexta-feira (14) em local determinado pela estatal para efetivar suas demissões. Segundo a FUP, trabalhadores afastados por doença ou em tratamentos de câncer também recebem a convocação.

Os sindicatos realizaram, nesta quinta, novas ações de fornecimento à população de botijões de gás subsidiados em sete estados do país: Amazonas, Pernambuco, Bahia, Espírito Santo, Rio de Janeiro, São Paulo e Rio Grande do Sul, “para que a população possa ter acesso a combustíveis com preços justos”.

Em Santos, por exemplo, o Sindipetro Litoral Paulista vendeu gás de cozinha por R$ 32,00 o botijão. A venda foi restrita a 150 botijões de gás e uma unidade por família. “Apesar de extrair petróleo com um dos custos mais baixos do planeta, a Petrobras reajusta os preços dos derivados nas refinarias de acordo com as variações do mercado internacional e, consequentemente, do dólar”, explica a FUP.

Reportagem publicada no portal Rede Brasil Atual.

Para ler a matéria completa, na íntegra, clique no link abaixo.

https://www.redebrasilatual.com.br/trabalho/2020/02/intransigencia-da-petrobras-pode-levar-a-desabastecimento-de-combustiveis-alerta-fup/