BNB tem melhor performance entre bancos do Brasil!

A notícia, veiculada nesta quarta-feira, dia 21, no Jornal O Povo de Fortaleza, está reproduzida abaixo.

É o que aponta estudo realizado por revista inglesa

O BNB ficou classificado em primeiro lugar em performance no ranking nacional, além de ficar em segundo colocado em eficiência operacional e alavancagem.

Banco do Nordeste do Brasil (BNB) tem o melhor desempenho entre todos os bancos brasileiros, de acordo com estudo publicado pela revista inglesa The Banker, pertencente ao jornal The Financial Times e editada há 94 anos.

O levantamento é feito para elencar os melhores bancos, por país, que pertencem ao mercado emergente Brics, composto por Brasil, Índia, China, Rússia e África do Sul. O BNB ficou classificado em primeiro lugar em performance no ranking nacional, além de ficar em segundo colocado em eficiência operacional e alavancagem.

O trabalho realizado pela The Banker analisa o desempenho das instituições em 2018 e as variações com o ano anterior, com destaque para o critério de eficiência operacional. A publicação também ressalta que, dos dez bancos brasileiros analisados, apenas três registraram aumento nos lucros no período.

 

Metodologia

A metodologia utilizada é baseada em modelo que classifica o desempenho de cada banco com base em 18 indicadores, em oito categorias principais. Os bancos recebem uma posição em cada categoria, bem como uma classificação geral com base no desempenho em todas as áreas

O presidente do BNB, Romildo Rolim, comemorou. “Este resultado ratifica nosso propósito de trabalho, em aplicar os recursos públicos que gerimos com o máximo de eficácia e eficiência, seguindo todas as regras de compliance, sempre focados no desenvolvimento da nossa região de atuação, geração de emprego e renda, além da melhoraria do bem-estar das famílias”, afirma.

Depois do BNB, completam o ranking das dez primeiros colocadas os seguintes instituições financeiras: Banco Daycoval, BTG Pactual, Itaú Unibanco Holding, Bradesco, Banco Safra, Banco do Brasil, Banco da Amazônia, Banrisul e Caixa Econômica Federal.

Indicadores avaliados

Crescimento: percentual anual em ativos, empréstimos, depósitos e receita operacional;

Rentabilidade: crescimento dos lucros antes dos impostos, retorno sobre ativos, retorno sobre patrimônio, margem de lucro, utilização de ativos (e melhoria anual nesses índices);

Eficiência operacional: relação custo-benefício (e melhoria anual nesse índice);

Qualidade dos ativos: crescimento dos encargos e provisões para redução ao valor recuperável, empréstimos vencidos, encargos por redução ao valor recuperável como um percentual da receita operacional total (e melhoria anual desses índices);

Retorno sobre o risco: retorno sobre ativos ponderados pelo risco (e melhoria anual nesse índice);

Liquidez: índice de empréstimo / ativo, índice de empréstimo/depósito (e melhoria anual desses índices);

Solidez: relação de ativos de capital (e melhoria anual nessa relação);

Alavancagem: total do passivo em relação ao total de ativos (e melhoria anual nesse índice);