13 de maio! 131 anos da Lei Áurea

131 anos após Lei Áurea, negros seguem à margem do mercado de trabalho. Os números do racismo estrutural no País devem ser questionados ativamente pelos empregadores, dizem especialistas

O 13 de maio de 1888 poderia ser uma data lembrada pelos bons frutos que deixou, já que marca o dia da assinatura que acabou com a escravidão no Brasil. Poderia. A Lei Áurea tinha apenas 1 parágrafo e nenhuma maneira de dar oportunidades aos ex-escravos do País. O martírio continuaria.

Passados 131 anos, a maioria da população brasileira ainda encontra barreiras de difícil transposição, independente de onde estiverem no cenário social do País. “Eu achava antes que, quanto mais eu ascendesse, menos eu iria vivenciar essa questão. Porém, quanto mais eu subo, mais eu estou em espaços raros para negros e sinto estranhamento das pessoas na minha presença”, comenta Liliane Rocha, mestra em Políticas Públicas pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) e CEO da Consultoria Kairós, especializada em promover sustentabilidade e diversidade no ambiente empresarial.

Esta matéria da repórter Giovanna Galvani, do site da Revista Carta Capital, faz uma reflexão a respeito da situação do negro brasileiro, 131 após a abolição da escravatura. Clique no link abaixo, para ler na íntegra.

https://www.cartacapital.com.br/diversidade/131-anos-apos-lei-aurea-negros-seguem-a-margem-do-mercado-de-trabalho/